sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Pus-me aqui a lembrar de como eram as coisas antigamente. Eu nunca fui uma criança normal, mas era feliz à minha maneira. Já na altura não queria saber muito dos outros, nem do que eles pensavam e diziam. E é verdade, cada um diz o que quer, o que não significa que seja verdade (como o que escrevo aqui não é? :)).
É fácil de perceber que aqui na aldeia, todos falam de todos e há um motivo. As pessoas nao se ocupam nem têm interesses realmente interessantes, os mais velhos nada fazem, encontram-se na taberna ou ali no café a contar k esta fez aquilo ou que o filho do outro faz não sei o quê. Os mais novos, também se encostaram à sombra da bananeira, ou estão desempregados ou trabalham em fabricas ou em empresas sem futuro e como tal lá vao eles para o café e muitas das vezes juntam se com os mais velhos e deitam mais lenha na fogueira. Será que pensam no futuro deles? Será que acreditam que estão bem e que assim vao ficar até morrer? Eu cá não sei. Sempre odiei isto, e não é por ser aldeia atenção! Eu cá nao sou muito citadina, mas estas pessoas não têm nada a ver comigo! Enfim, eu já quando era criança pensava o mesmo, embora não o entendesse.
Enfim, lembrei-me disto porque desde ontem que ando com a "neura" e a maldita não passa!!! Sabem quando nao ha paciencia nem para nos aturarmos a nós proprios? Eu dantes não era assim! Baahh, e depois todos à minha volta também andam assim e então andamos todos de "trombas" a responder mal uns aos outros, sem nos compreendermos! Eu cá quando estou assim, prefiro que não me digam nada, que também nao me importo de passar um dia inteiro sem abrir a boca. O ideal seria que ninguém abrisse a boca também! loool
Enfim, a neura tem de passar. Porque as coisas vão ter de começar a correr-me bem e eu tenho de fazer alguma coisa por mim!

1 comentário:

Anónimo disse...

Estive a ler o teu blogue, pareces-te muito comigo. Somos nós que fazemos a nossa sorte somos nós que vivemos a nossa vida que sofremos com os nossos problemas, por isso somos nós que temos de escrever um destino bonito para as nossas vidas mesmo que não seja o melhor temos de o encarar como se fosse. E isto é que é vencer, crescer e aprender.
Vou continuar a passar.
beijo

Pesquisar neste blogue