sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

barely breathing

Não existo.
Aos poucos fui-me apagando, desligando.

O ar está rarefeito hoje. Mal consigo respirar. Foram as lágrimas que causaram isto. Porque estou viva, mas não existo. E como não existo, ninguém me vê. E ninguém pode saber que eu afinal ainda estou viva.

Custa respirar desta forma. Um corpo que não existe mais, como pode respirar normalmente? Choro mais do que respiro. Respiro mais do que vivo.

Uma alma atormentada não vive, não respira, não sente. Pois essa alma já não existe... 




quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Mania da perseguição

Ultimamente tenho notado que uma certa pessoa anda a fazer coisas muito parecidas com as minhas. Vou só dar 2 exemplos:
- Eu coloquei no facebook há uns dias que estava a ver um determinado filme que era brutal, e ela passado 2 dias fez exactamente o mesmo.
- Depois referi mais do que uma vez o livro que andava a ler e o autor e ela começa a colocar frases desse mesmo autor...
Para não falar de outras coisas que me incomodam (já tinha falado nela recentemente aqui), eu quero manter-me tranquila mas não consigo! 

Será mania da perseguição? Estarei paranóica? Comecei a ter medo de mostrar os meus interesses e passei a ser mais cautelosa, pois em tudo o que ela diz que gosta e que é de certa forma o mesmo que eu, acabo por deixar de gostar, de apreciar, desmotivar, perder o interesse... Fico com raiva das coisas. E dela. E de quem a rodeia... Isto é normal?......



terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Conseguir tirar o fôlego com as palavras

Nem toda a gente consegue fazê-lo... Aqui está um exemplo de alguém que consegue e bem...



Podem espreitar:




"Aqui dentro chamam-me morto. Porque a morte é a minha mais absoluta certeza. Lá fora chamam-me assassino. Porque com toda a certeza matei. ..."



Para ler mais, têm de visitar o blog, a sério. Não, não ganho nada com isto. lol. Só que é bom de mais para ignorar.



Um dia também vou escrever assim :)

sábado, 10 de janeiro de 2015

Admirável Mundo Escrito

Mais uma vez vos trago um texto maravilhoso que emociona...


"Vieste ao (meu) mundo de forma tão inesperada que nem tempo tive de pensar. Tenho em mim todo o medo que possa conceber. Medo de te perder..."



quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Escrita

Sabem o que eu gostava mesmo? De escrever.

Já escrevi muito no blogue, que foi mais um diário, e hoje só venho cá muito de vez em quando para não dizer que desapareci.

Mas o que eu queria mesmo era escrever histórias, pequenos contos, e um dia até um livro, ou mais. Mas não sei por onde começar, nem o que escrever. Não tenho criatividade para isso, pelo menos agora.
Espero um dia vir a ter......


Pesquisar neste blogue